Tudo o que Você Sempre Quis Saber Sobre Projetos Culturais (Mas Tinha Medo de Perguntar)

Como montar um projeto cultural?

Você já tem um roteiro e está interessado em envia-lo para um edital e poder realiza-lo.  Primeiramente, você precisar pesquisar os editais abertos. Cada edital tem uma especificidade e exige documentos e projetos específicos.

 

No Brasil, hoje, a produção audiovisual ocorre quase que exclusivamente através de dois mecanismos:

 

Um é apoio indireto a projetos audiovisuais, que se dá por meio de mecanismos de incentivo fiscal dispostos na Lei 8.313/91 (Lei Rouanet), na Lei 8.685/93 (Lei do Audiovisual) e na Medida Provisória 2.228-1/01. Esses dispositivos legais permitem que os contribuintes, pessoas físicas e jurídicas, tenham abatimento ou isenção de determinados tributos, desde que direcionem recursos, por meio de patrocínio, coprodução ou investimento, a projetos audiovisuais. Isso quer dizer, que após aprovar seu projeto, em uma destas leis, você precisará encontrar patrocinadores. Caso, você não consiga patrocinadores dispostos a fazê-lo, mesmo tendo um projeto aprovado, você não terá a verba para realizá-lo.

 

O outro é o Fomento Direto, apoiando projetos por meio de editais e seleções públicas, em geral de natureza seletiva. Aqui, ao ser selecionado, você recebe diretamente do órgão que realizou a seleção a verba referente a produção do se projeto.

 

Quero Inscrever meu projeto na Lei Roaunet. Como fazer?

A Lei Roaunet é uma Lei de Incentivo a Cultura realizada através de Renuncia Fiscal. A Lei Roaunet fica aberta ao longo de quase todo o ano, entre fevereiro e novembro. A Lei Rouanet exige captação de Recursos, quer dizer, que após aprovado, você precisará entrar em contato com empresas, apresentar seu projeto e eles poderão escolher financia-lo ou não, através de dedução do imposto de Renda. Quer dizer que a empresa não tira dinheiro do caixa para financiar seu projeto e sim abate do imposto devido. Na área audiovisual, pela Lei Roaunet podem ser incentivados projetos de curta e média- metragem de ficção, documentário e animação. Longas-metragens só podem ser incentivados pela Lei Roaunet se forem de documentário. Longas-metragens de ficção são incentivados através de editais do Ministério da Cultura, Chamadas Públicas ou pela Lei do Audiovisual da Ancine ( Agência Nacional de Cinema).

 

Quero inscrever meu roteiro para produção em um edital. Como fazer?

Como dissemos, cada edital tem as suas especificações. Aqui nós vamos citar os passos necessários, que em geral, vão lhe ajudar a formatar um projeto para qualquer edital. Observe também, que cada edital público ou de empresa privada, pode apresentar seu próprio formulário para preenchimento.

 

Passos:

1. Lei o edital com atenção. Ele vai conter muitas informações essenciais para a participação. O edital define que tipos de projetos podem ser inscritos, os valores máximos que podem ser patrocinados, os prazos para a inscrição e os documentos necessários. Faça uma lista com o resumo de todas as informações para inscrever seu projeto, o use como um Check -List.

2. Certifique-se que seu projeto esteja das especificações do edital como formato, duração e público alvo.

3. O que o seu projeto precisa ter:

 

  • Um título: Use um título forte, mas de fácil comunicação. As pessoas começam a se interessar pelo seu projeto no título, pense em algo que resuma o seu conceito de uma forma vendável.

 

ERROS COMUNS: Digamos, por exemplo, que você está inscrevendo seu filme em um edital de curtas-metragens. Você NÃO precisa colocar como título do seu projeto: Curta-metragem Girassol. O edital já é para curtas-metragens, você não precisa contar isso no título. Mesmo que você esteja apresentando seu projeto por aí, e não inscrevendo-o em um edital,  imagine  o título do projeto como um título de venda. Isso é aplicável a qualquer projeto, em qualquer segmento.  Foto da Hellmmans e de outros produtos, o nome do produto e o que ele é estão separados.

 

  • Apresentação: Aqui sim, você deve explicar seu projeto. Este item exige precisão, já que aqui é onde se vende a ideia do projeto. Muitas vezes, na leitura da apresentação do projeto. Diga o que ele, um curta-metragem, um média, etc. Se algo for relevante para a sua realização também pode ser citado. Por exemplo, se a história de passar em Curitiba, for importante, pode dizer. Se for um filme que será filmado em Curitiba, mas poderia ser em qualquer outra cidade, não precisa citar. Inclua de forma orgânica no texto, uma breve sinopse ou logline do filme. É importante para que seu leitor saiba sobre o que é o filme. Aqui em geral, vem a passagem por outro ponto, que é o tema. Diga qual o tema você quer debater com sua história. Fale sobre o público que você quer atingir com a obra e qual a forma de distribuição do filme (é um filme para web, para distribuição em Festivais, para exibição na tv, etc...). No final do seu projeto todo, volte para este item e veja como ele sintetiza todo o resto do projeto.

 

ERROS COMUNS: Não ser objetivo e fazer abstrações. Escrever na primeira pessoa (Exemplo: Com este filme pretendo atingir o público feminino). Não delimitar o público. Isto é um erro comum e na realidade os realizadores, acreditam que ao não definir o seu  público, eles estão ampliando a possibilidade de acesso ao público. Isto é uma mentira, mostrar de você tem um público alvo, demostra que você tem foco na realização do seu projeto e conhece o mercado.

 

  • Justificativa/Relevância: Aqui você pode explorar não só o tema, mas como você ira aborda-lo e com que intuito. Como o filme irá dialogar com seu público alvo e como ele se destaca das demais obras feitas para o mesmo público. O que ele tem de diferencial entre outros projetos. O que ele tem a contribuir com o atual cenário cultural e social.  Imagine-se respondendo a questão: Por que o seu projeto deve ser selecionado.

 

ERROS COMUNS: Dizer que o incentivo é importante para o crescimento cultural, ou para levar cultura para algum lugar. A pessoa que lerá seu projeto, seja num edital ou mesmo num incentivo de uma empresa, já sabe que incentivar a cultura é importante. Ela quer saber por que incentivar o seu projeto!!

 

  • Objetivos: Em geral os objetivos são dispostos em lista, sempre com um verbo com um verbo no infinitivo. Ele é uma versão em tópicos dos itens que você já terá discutido na justificativa. (Exemplo: Debater a influência da internet na vida moderna; Valorizar profissionais da Região do Vale do Ribeira; etc...). Você pode listar mais de um objetivo.

 

  • Plano de Realização/Cronograma: Faça uma lista  das atividades necessárias para a execução do projeto e de quanto o tempo você irá precisar para realizar cada uma delas. Você pode prever isso em duração ( semanas ou meses) ou ainda colocar os meses em que cada uma das atividades serão executadas.

ERROS COMUNS: Colocar itens desnecessários, estipular um prazo de execução, fora da realidade.

 

  • Plano de divulgação: Envolve como o filme vai ser distribuído e previsões de público. Também pode envolver materiais gráficos, trailers, pôster, etc..

 

  • Orçamento: Aqui em geral, o bicho pega!! Este item vai ser o mais o mais longo, pois é o mais complexo. Para começar, você precisa ter em mente o valor definido como teto do edital que você quer inscrever seu projeto. Se o limite definido por edital é de R$ 80 mil para produzir um curta-metragem, o seu limite é de 80 mil reais!! Se você mandar um orçamento de R$ 80.000,01, você será desclassificado!!

 

A) Então pense e analise se o seu projeto cabe dentro do valor delimitado.

 

B) Faça uma analise técnica do roteiro. Em geral, a analise técnica é realizada pelo assistente de direção, mas se você ainda não tem este profissional, faça você mesmo, uma pré-analise técnica para montar seu orçamento. Na analise técnica você vai prever e listar tudo que o seu roteiro exige para a  realização. Liste tudo, de coisas mais óbvias e importantes, como profissionais e elenco, até acessórios e serviços que deverão ser inclusos. Exemplos: Quais  equipamentos serão usados e por qual quantidade de diárias? Liste câmeras, acessórios, equipamento de movimento, etc... Quais profissionais serão necessários? Você pode ter necessidades diferentes para um documentário e um filme de ficção. Liste todos os profissionais necessários a sua produção. E o elenco? Conte o número de atores que serão necessários. Preveja cenas que devam incluir figuração e contabilize mais ou menos quantos figurantes você precisa para dar vida a estes ambientes. Separe na lista. Seu filme necessita de figurinos, certo? Podem ser atuais, de época, ou específicos, como fardas e uniformes.  Liste os figurinos e preveja quantas mudanças de roupas devem existir ao longo  do filme incluindo todos os personagens. Tem uma cena com animais, que exigirá um treinador? Liste o profissional e a quantidade de diárias. Você terá cenas de ação, que precisarão de dublês? Preveja e liste. Você precisará de locações especificas que necessitem ser alugadas? Lista também, prevendo o número de diárias de filmagem em cada uma delas. E esta equipe toda, como será transportada até as locações? Inclua o valor referente a gastos de transporte. E alimentação? Preveja um número de refeições coerente com a carga de horário prevista para cada diária. Preveja a pós-produção. Quanto tempo será necessário para editar o filme? E para fazer a edição de som? Haverá uma colorização da imagem? Liste todo estas etapas e profissionais envolvidos. Você precisará de uma trilha sonora? Ela será composta para seu filme ou você quer usar uma música já composta e popular. Preveja tanto no caso de contratação de um compositor, quanto o valor de aquisição de licenciamento para uso de uma trilha sonora já existente.

 

C) Depois que a sua Analise Técnica do roteiro está pronta, você começa a orçar os itens listados.  Entre em contato com empresas e solicite um orçamento de seu item ( como transporte, alimentação, etc.) Entre em contato com profissionais e procure saber o valor quanto cobram para a quantidade de diárias que você prever serem necessárias para a filmagem do filme. Se você não conhecer um profissional para as funções necessárias, orce  segundo o piso salarial dos Sindicatos. Você pode encontrar os pisos aqui e aqui. Preveja os impostos que segundo a lei devem ser arcados pelo Contratante e orce.

 

D) Depois que você juntar tudo isso, e vai saber quanto vai custar o seu filme. Em geral, vai ser mais caro do que você imaginava. Talvez você precise fazer cortes e adequar o seu projeto. Este é um momento crucial para o orçamento. NÃO CORTE e diminua valores de itens fundamentais. Você vai se arrepender depois. NUNCA corte gastos de alimentação e transporte, isso provavelmente vai deixar sua equipe insatisfeita e pode influenciar na qualidade do trabalho. NUNCA corte coisas que sejam fundamentais para o conceito e linguagem do filme. Por exemplo, você pode diminuir o uso de uma steadycam no seu projeto, mas não tire do seu orçamento, aquela diária que a SteadyCam e seu operador, são fundamentais para contar a história. Preveja parcerias. Um restaurante pode fornecer parte da alimentação, em troca da divulgação de sua marca, por exemplo. Isto é chamado de Apoio Cultural (o logo dos seus apoiadores pode ser incluso nos créditos dos filmes, no cartaz, no site, desde que isso não seja conflitante com o edital que você está participando). Aqui entra a sua CRIATIVIDADE (quem disse que não há criatividade em orçamento?). Mexa no que pode ser resolvido de forma criativa, sem um gasto alto e sem colocar em risco sua equipe, seu projeto e sua sanidade mental.

 

E) Preveja uma reserva de contingência para gastos imprevistos. Isto não pode ser um item/rubrica do seu orçamento, mas é fundamental para que sua realização não seja ameaçada por mudanças de valores ao longo do tempo. Embuta este valor em uma das rubricas ou defina cotas para cada uma delas. Por exemplo, você recebeu um orçamento de R$ 1.000 para um item e pode coloca-lo no projeto como R$ 1.100,00. Isto impede que seu orçamento fique muito engessado com valores desatualizados.

 

F) Coloque seu orçamento dentro do padrão pedido pelo edital. 

 

ERROS COMUNS: Achar que se você orçar seu projeto abaixo do estipulado pelo edital, você terá mais chance de ser aprovado. Um item fundamental na avaliação de um orçamento é a viabilidade. Em geral, o teto do edital já foi definido, levando em consideração os valores de mercado. Se seu orçamento não parecer viável, você tem menos chances de aprovação, então não adianta querer reduzir custos e ter um projeto inviável.

 

  • Roteiro: Os editais costumam pedir o roteiro desenvolvido. As únicas excessões são para documentários. Certifique-se que ele está na formatação correta e apresenta qualidade e relevância dentro do tema e formato solicitado.

 

  • Documentos Diversos: pode incluir desde cópias de documentos até currículos, declarações e pré-contratos, lembre-se de ter sempre sua Check List em mãos antes de fechar seu projeto, observando o que deve ser enviado. Boa parte dos projetos para na etapa de Habilitação, quer dizer, que os proponentes não observaram itens importantes segundo o edital e não enviam (ou não enviam  como foi solicitado) documentos, fichas e declarações fundamentais para fazer parte do processo de seleção.

 

 

 

A inscrição é feita toda online através do Salic Web, um sistema unificado do Ministério da Cultura, utilizado para apresentação e acompanhamento de propostas culturais.

 

Você pode acessá-lo aqui

 

Aqui você em manual sobre como fazer sua inscrição através do sistema SalicWeb. 

Tenha em mente que Editais não aprovam projetos baseados apenas por sua qualidade e sim por um conjunto de fatores. Se seu projeto não for selecionado desta vez, não desista!!! Alguns editais liberam notas e análises dos projetos, mesmo quando não aprovados, utilize isso a seu favor. Veja o que pesou contra seu projeto e tente melhorá-lo. Continue tentando. Se você nunca tentar, nunca vai conseguir. 

Por Tertúlia Narrativa

Dúvidas Frequentes

Eu posso me orçar no meu projeto?

Sim, você sendo proponente de um projeto, pode se orçar nas funções que irá realizar dentro dele.

 

Posso orçar o roteiro?

Isso é um fato interessante de como é realizada a produção cinematográfica no país. Você já deve ter escrito o roteiro para envia-lo para um edital, então você pode orçar este serviço sim, mesmo ele já tendo sido realizado.

 

O que posso incluir em um orçamento?

Os itens financiáveis costumam depender da fonte de financiamento. Alguns, por exemplo, podem incluir rubricas de distribuição do filme, enquanto outros não, apenas os gastos de produção. Fique atento ao edital que você está participando.

 

Qual o valor máximo que posso orçar o meu projeto?

Também, é um item que depende do edital ou chamada que você está participando. Observe no regulamento/edital o valor estipulado.

 

Eu tenho um projeto, mas ainda não queria produzi-lo e sim desenvolvê-lo, existem editais para isso?

Sim, hoje a Ancine ( Agência Nacional de Cinema) tem chamadas públicas apenas para o Desenvolvimento de roteiros para filmes e séries de Tv. Você pode acessá-los aqui. Observe o prazo de inscrição das chamadas.

 

Tenho um projeto que já estou fazendo e quero inscrevê-lo em um edital, só que o edital pede Obras Inéditas. Meu filme pode ser considerado inédito?

Obras Inéditas são obras que ainda não foram produzidas e nem lançadas. Se o projeto já está em produção, ele em geral, não se enquadra na categoria Inédita. Hoje, existem editais apenas para finalização de projetos. Veja se seu projeto se adequa a um destes editais.

 

Uma pessoa entrou em contato comigo no facebook/email  e pediu para eu escrever um roteiro para ele ( ou utilizar um roteiro meu). Ele disse até que já tem equipe e vários equipamentos, só que ele não tem dinheiro para pagar, mas depois quando o filme for selecionado/lançado, prometeu que vamos dividir a grana. Isto é confiável?

Primeiramente, lembre-se que antes de passar seus roteiros e trabalhos por aí, você deve registrá-los. Se você não sabe por que e como fazê-lo, saiba mais sobre o registro aqui.

Segundo, nós da Tertúlia Narrativa acreditamos que a internet pode sim ser um espaço de colaboração e parcerias, por isso nossa iniciativa deste site e do compartilhamento de algumas das nossas experiências. Contudo, tenha uma coisa em mente: profissionais idôneos não fazem apenas promessas, fazem contratos. Se existe interesse real em tornar o projeto uma parceria, coloque-a no papel. Estabeleçam entre vocês cláusulas que estipulem o uso do material, a autoria, o futuro pagamento e até a possível divisão de lucros resultantes da obra de forma que a transação seja vantajosa para ambos. Se você começar a escutar várias desculpas para não colocar todas estas promessas no papel e formalizá-las, tome cuidado, você pode estar entrando em uma cilada.

 

 

Tenho um amigo que já participou de diversos editais e nunca foi selecionado. É realmente interessante tentar financiar meu porjeto através de leis de incentivo?

Os projetos não são aprovados por muitos motivos. Primeiramente, eles devem estar corretamente formatados. Segundo, é importante que tenhamos em mente que gostarmos de um projeto nosso, não lhe dá um indicativo de qualidade. Por isso, é fundamental, estudarmos não só roteiro, mas as atuais necessidades de mercado. Os projetos aprovados neste edital, tinham que caracteristicas, que diferenciais em relação ao seu? Terceiro, lembre-se do vídeo de discurso do Neil Gailman ( se você ainda não assistiu, você pode ver aqui). Nossa profissão é como estarmos perdidos numa ilha deserta lançando mensagens em garrafas. Devemos lançar dezenas, talvez centenas de mensagens para conseguirmos um retorno. Então, simplesmente desistir, não é uma opção. Procure saber o que é possível melhorar em seu trabalho e continue lançando garrafas. Se você não quiser financiar seu projeto através de mecanismos de incentivo público, você pode realizá-lo formando parcerias e apoios com empresas e profissionais. Hoje, também é possivel levantar verba para seu projeto através de financiamento coletivo, onde pessoas que tenham o interesse e curtam a idéia, doem pequenas quantias em dinheiro em troca de recompas propostas pelo projeto. Pesquise por plataformas de crowdfunding como o Catarse ou o Kickante

 

 

 

 

 

Comentários

E você tem alguma dúvida sobre projetos culturais?

logoemail.png