Buscar
  • Tertúlia Narrativa

7 Filmes que ganharam o Oscar de roteiro para assistir na Netflix


Para os roteiristas que vão ficar em casa no Carnaval, uma boa opção é curtir bons roteiros! E com a cerimônia do Oscar no final de semana, por que não uma sessão temática de filmes ganhadores do Oscar de roteiro original ou adaptado?

Separamos alguns filmes com roteiros ganhadores do Oscar que você pode assistir na Netflix.

Boa sessão!!

O Sol é para Todos

Horton Foote foi roteirista da Era de Ouro da Televisão Americana e ganhou um Pulitzer e dois Oscar ao longo de sua carreira. O primeiro veio com a adaptação do clássico de Harper Lee, mostrando o preconceito racial nos Estados Unidos, quando um jovem negro é injustamente acusado de estuprar uma jovem branca. A trama é apresentada pelo ponto de vista do advogado de defesa e seus filhos, que acabam tendo suas vidas impactadas ao se posicionar em defesa do jovem negro. A primeira metade do filme é quase toda sob a ótica das crianças. Ainda hoje um filme poderoso, cenas memoráveis.

Oscar: Roteiro Adaptado 1962

Roteirista: Horton Foote. Adaptado da novela To Kill a Mockingbird de Harper Lee

Assista aqui

Leia aqui

Desaparecido

Dos filmes selecionados aqui é o único realmente difícil de se encontrar um tratamento online para leitura, mas mesmo assim vale assistir o filme e fazer um estudo de engenharia reversa. Missing não se enquadra nos padrões hollywoodianos da época. Um dos estudos de personagens mais complexos já feitos, adicionando a isso o relato corajoso sobre a ditadura chilena e o conflito geracional. Em entrevista, Costa-Gravas explicou a adaptação: "Depois que "Z" foi exibido nos Estados Unidos, eles me pediram para fazer um monte de filmes americanos - você sabe, o sistema que eles têm, para assinar um contrato com vários, quatro ou cinco projetos. Então eu recusei, porque eu não conhecia o país, e também não tinha uma história que pudesse me interessar. A primeira vez que tive uma história que foi muito interessante para mim foi "Missing." Enviei o livro. E mesmo assim, eu lhes disse que eu gostaria de fazer esse filme, mas não todo o livro, apenas as 65, 70 últimas páginas do livro, quando o pai finalmente vai procurar o filho. Eles disseram: 'Ok, vamos assinar.' Eu disse: 'Não, nós não vamos assinar, porque eu não quero entrar no sistema de Hollywood. Vou fazer um argumento de 50 páginas, e se vocês gostarem, então nós assinamos. "E foi o que eu fiz e eles gostaram do argumento. Porque Hollywood é uma cidade muito difícil para mim. Pode comê-lo completamente."

Oscar: Roteiro Adaptado 1982

Roteirista: Costa-Gavras e Donald E. Stewart em adaptação do livro de Thomas Hauser

Assista aqui

Fargo

Com uma carreira sólida desde os anos 80, os irmãos Coen chegam ao Oscar pela primeira vez em 1997 com Fargo. Possivelmente um de seus melhores roteiros, Fargo tem personagens fortes, uma trama insana e cheia de peripécias e o inconfundível estilo Coen: cômico, dramático e niilista. Em 1987 na cidade de Fargo, o gerente de uma revendedora de automóveis planeja o seqüestro da própria esposa, vinda uma família rica, para conseguir dinheiro e se livrar de uma crise financeira. Ele contrata dois bandidos para realizar o sequestro, mas uma série de acidentes acaba transformando o sequestro em uma assassinato, que acaba provocando outras mortes. Uma chefe de polícia grávida tenta elucidar o caso. O sarcasmo coeniano já começa na tela inicial que alega que a história é baseada em fatos reais. Pura ficção.

Oscar: Roteiro Original 1997

Roteirista: Ethan Coen & Joel Coen

Assista aqui

Leia aqui

Pequena Miss Sunshine

Pequena Miss Sunshine, de todos os filmes selecionados aqui talvez seja o mais tradicional. Uma estrutura clara e clássica, com personagens arquetípicos e um objetivo definido logo na página 20. Não existe nada de inovador em Pequena Miss Sunshine, mas o leque de personagens é tão bem desenvolvido e com tamanhas particularidades, que é simplesmente impossível não ser tomado pelo clima do roteiro. Michael Arndt foi semifinalista do Academy Nicholl Fellowships, organizada pela Academia para roteiristas inciantes, duas vezes, em 1991 e 2001. Michael, na época assistente pessoal do ator Matthew Broderick, largou o emprego para conseguir escrever Pequena Miss Sunshine, seu primeiro roteiro produzido. O filme custou 8 milhões de dólares e arrecadou mais de 100 milhões em bilheteria.

Oscar: Roteiro Original 2006

Roteirista: Michael Arndt

Assista aqui

Leia aqui

Preciosa

A construção da história se feita de outra forma poderia diminuir o personagem de Preciosa, estigmatizando, transformando-a em um esteriótipo. Mas Geoffrey Fletcher trabalha com uma construção sistemática de revelações, tanto para o público quanto para a personagem, que adicionam camadas à sua trajetória. E é essa construção que permite um arco complexo e relacionável.

""De uma distância ou de um relance, [o roteiro] pode parecer um conjunto muito exótico e específico de circunstâncias, mas é totalmente universal. A história fala de qualquer um que já se sentiu marginalizado, desvalorizado, ignorado, subestimado e tem vontade, determinação e bondade. Eu acho que a maioria das pessoas já experimentaram um ou vários desses sentimentos. " - Geoffrey Fletcher

Oscar: Roteiro Adaptado 2009

Roteirista: Geoffrey Fletcher em adaptação da novela Push de Sapphire

Assista aqui

Leia aqui

A Rede Social

Aaron Sorking é provavelmente um dos roteiristas mais respeitados em Hollywood. Ele tem um estilo próprio, diálogos pulsantes e chegou ao ápice do seu trabalho no cinema (até aqui) com A Rede Social (apesar de sua obra-prima ainda residir em West Wing). O perfil de protagonista de Sorking, sempre auto-centrado, genial, em crise e incompreendido, cai como uma luva para o Mark Zuckerberg de A Rede Social.

Oscar: Roteiro Adaptado 2010

Roteirista: Aaron Sorkin em adapatação do livro The Accidental Billionaires de Ben Mezrich

Assista aqui

Leia aqui

A Grande Aposta

Um dos melhores filmes da safra 2015 do Oscar, passou quase despercebida pelos cinemas por conta do tema espinhoso e da abordagem inusitada. Adam Mckay leva toda a sua experiência em comédias (O Ancora, Quase Irmãos, SNL) para construir uma dramédia que não tem medo de beber da fonte de suas referências (Scorsese é claramente uma delas) e brinca com a narração voice-over, os múltiplos protagonistas e até a metalinguagem (como na cena em que Margot Robbie em uma banheira explica conceitos financeiros complexos). Escrita afiada em uma estrutura fragmentada, mas que consegue manter a unidade, mesmo com um assunto difícil para grande parte do público.

Oscar: Roteiro Adaptado 2015

Roteirista: Adam McKay e Charles Randolph em adaptação do livro The Big Short: Inside the Doomsday Machine de Michael Lewis

Assista aqui

Leia aqui

#oscar #roteiro #roteirista

tertulia-6_edited.jpg
logoemail.png